News

LIVRO SOBRE HPB É BOM PARA RECICLAGEM Posted on 25 Aug 23:23 , 0 comments

Biografia de Helena P. Blavatsky

Publicada em 2012 Não é Totalmente Inútil

Carlos Cardoso Aveline
_
_

Há uma biografia de Helena P. Blavatsky que, a julgar pelo título e pela capa, parece profundamente teosófica.

É importante fazer um alerta para que os leitores não joguem seu dinheiro fora.

Apesar do seu título agradável, o livro “Madame Blavatsky, a Mãe da Espiritualidade Moderna”, de Gary Lachman, é útil principalmente como matéria-prima para aqueles que produzem papel reciclado. Colocado à venda em inglês em 2012 e em português em 2014, o livro tem 280 páginas e seu conteúdo é inspirado pela política antiteosófica do Vaticano. 

Há sempre um lado positivo em tudo, e a boa notícia é que o volume não foi publicado nem apoiado por qualquer editora teosófica. No Brasil, saiu pela Cultrix/Pensamento. O seu conteúdo é uma versão mal atualizada dos materiais falsificados por Vsevolod Solovyof e os Coulomb no século 19. 

O volume constitui uma forma militante de relativismo ético ou hipocrisia intelectualizada. Não há confirmação oficial de que instituições ligadas ao Vaticano vêm patrocinando este tipo de literatura. É sintomático, no entanto, o fato de que o volume recebeu elogios insistentes de editores e comentaristas que trabalham em harmonia oculta com o Vaticano.

Sylvia Cranston Escreveu a Melhor Biografia

Os livros antiteosóficos sobre Helena Blavatsky devem ser identificados - entre outras razões - como uma expressão de respeito pelo dinheiro das pessoas. O direito dos consumidores está em jogo, e isso não é tudo. Os teosofistas podem indicar aos leitores do público amplo os livros que são autênticos, e dizer quais autores se abstêm de adulterar os fatos.

A melhor das dezenas de biografias da fundadora do movimento teosófico moderno, sem dúvida, é “Helena Blavatsky”, de Sylvia Cranston. [1]

O bem documentado volume de 678 páginas é uma leitura inevitável tanto para estudantes experientes como para aqueles que só agora descobrem a teosofia. A maior parte da obra de Cranston é tão agradável de ler quanto um bom romance. Para muitos, é fascinante. O volume é também ilustrado. A sua parte final - parte sete - constitui um relato impressionante do impacto que os escritos produzidos por Blavatsky e pelos Mestres de Sabedoria no século 19 provocaram ao longo do século 20 - e ainda provocam hoje.

NOTA:

[1] “Helena Blavatsky”, Sylvia Cranston, Ed. Teosófica, Brasília, 1997.   

000

O texto acima é reproduzido de www.HelenaBlavatsky.net

000

Clique aqui para comprar o livro “Helena Blavatsky”, de Sylvia Cranston

000


BOOK ON BLAVATSKY IS GOOD FOR RECYCLING Posted on 25 Aug 23:10 , 0 comments

A 2012 Biography of H.P.B. Is Not Totally Useless

Carlos Cardoso Aveline
_
_
00000000000000000000000000000000
 
An initial version of the following
note was published at “The Aquarian
Theosophist”, November 2012 edition. It 
had no indication as to the name of the author.
 
0000000000000000000000000000000000000000000
_
_
The title and front cover of a biography of Helena P. Blavatsky, published in 2012, seems to be profoundly theosophical.
 
A warning should be made for people not to waste money.
 
In spite of its nice title, the book “Madame Blavatsky: The Mother of Modern Spirituality”, by Gary Lachman, is useful mainly as raw material for those who recycle paper.
 
There is always a bright side to things, and the good news is that it has not been published by any theosophical publishing house. Its contents make a poorly updated version of the materials fabricated by Vsevolod Solovyof and the Coulombs in the 19th century. It constitutes a militant form of ethical relativism. It has not been confirmed whether Vatican-related institutions are sponsoring this sort of literature. It may be symptomatic, however,  that the volume has received insistent praises by theosophical editors who are in occult harmony (if not in direct cooperation) with the Vatican.

Sylvia Cranston Wrote the Best Biography
_
_
Jesuitic books regarding Helena Blavatsky must be identified - among other reasons - out of respect for people’s money. The rights of consumers are at stake, but this is not all. Theosophists can indicate to general readers which books are truthful, and what authors do not distort facts.   
 
The best one among dozens of biographies of the founder of modern theosophical movement is “Helena Blavatsky”, by Sylvia Cranston. [1]
 
The 672 pp., well-documented volume is an unavoidable reading for experienced theosophists and for newcomers as well. Most of it reads like a novel. The last and seventh part of Cranston’s work is an astonishing account of the impact of HPB-Masters’ literature on human thought and karma, along 20th century - and nowadays.  
 
NOTE:
 
[1] The book is available in Portuguese language under the title of “Helena Blavatsky”.  
 
000
_
The above article is reproduced from www.HelenaBlavatsky.Org .
_
000
000